segunda-feira, 6 de fevereiro de 2012

A porta de entrada para o meu mundo



Um mundo onde não há sofrimento, não há culpa nem violência, não há brigas nem pesadelos, onde prevalecem os desejos e a vontade de lutar, o meu mundo, o meu refúgio, o meu lugar... Ter onde abrigar-se, fingir que por um minuto tudo está bem, viajar em mundo onde eu sou o protagonista, um lugar onde as minhas opiniões são as que realmente importam, chorar a hora que quiser e sorrir sem máscara nenhuma.
Precisamos de um mundo secreto algumas vezes, precisamos criar uma fonte de sonhos, de alegrias ou até mesmo de tristezas, precisamos de um lugar para despejar todas as nossas dores... No silêncio de um quarto...
Ficar calado e não nos preocuparmos se alguém virá perguntar o porquê de estarmos assim, sorrirmos sozinhos e não sermos “o apaixonado”, gritar e despejarmos nossa raiva em um papel ou no travesseiro sem machucar ninguém... Sem nos machucar...
Todos nós precisamos de um mundinho particular, pois quando acordarmos voltaremos para a realidade e aqui as coisas são muito mais complicadas, devemos cumprir o que prometemos, sorrir com vontade de chorar, desistir de algumas vontades, mudar de rotina, prender o choro, a raiva e sentir-se sozinho... Algo totalmente diferente daquele silêncio, daquele escuro, daquela paz...
Aqui as coisas são difíceis, pagamos um preço alto, porém no final Valerá a pena!
(Izabella Gonçalves)


Um comentário:

  1. Todos temos um lugar, onde em silêncio nos encontramso.Parabéns.

    ResponderExcluir

Subscribe